sexta-feira, 19 de março de 2010

Tem dias que bate uma saudade...


Acordei com uma saudade do meu povo... Esse final de semana eu não vou pro Rio.
Sinto falta da cia, da minha casa, da minha cama (Eu prefiro o sofá, mas vou falar cama, pra minha mãe ficar feliz!), do feijão da minha mãe, da carne assada da avó Dalva, dos tapas carinhosos da dindinha, das tardes musicais com o meu irmão, onde todos os vizinhos eram obrigados a participar, dos chás das 5, transformados em happy hour, lá em casa, das mesmas histórias da bisa Pepenha, da prima Keminha, a mais inteligente do mundo, dos amígoles tudo de bom, das minhas receitas mirabolantes na cozinha, dos sermões cheios de carinho do Bruno, dos bate-papos e cervejinhas na Marisa... Sinto falta até dos porteiros, seguranças, crianças gritando, do condomínio...
Eu gosto de Valença, mas me sinto um peixe fora d'água. Falta um pedacinho de cada um de vcs... Falta o que fazer... Falta bons assuntos... A galera da faculdade é muito legal, eu sou, sempre, muito bem recebida por todos eles, minha avó cuida de mim, como se eu fosse uma princesa, mas mesmo assim, falta alguma coisa, faltam vcs!!!
Se eu pudesse, trazia todos vcs pra cá... Seria a mulher mais feliz desse mundo!

Um móbile no Furacão - Paulinho Moska

Você diz que não me reconhece, que não sou o mesmo de ontem
E que tudo o que eu faço e falo não te satisfaz
Mas não percebe que quando eu mudo é porque
Estou vivendo cada segundo e você
Como se fosse uma eternidade a mais
Sou um móbile solto no furacão...
Qualquer calmaria me dá... solidão
Na última vez que troquei meu nome
Por um outro nome que não lembro mais
Tinha certeza: ninguém poderia me encontrar
Mas que ironia minha própria vida
Me trouxe de volta ao ponto departida
Como se eu nunca tivesse saído de lá
Sou um móbile solto no furacão
Qualquer calmaria me dá... solidão
Quando a âncora do meu navio encosta no fundo, no chão
Imediatamente se acende o pavio e detona-se minha explosão
Que me ativa, me lança pra longe pra outros lugares, pra novospresentes
Ninguém me sente...
Somente eu posso saber o que me faz feliz
Sou um móbile solto no furacão
Qualquer calmaria me dá... solidão!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

6 comentários:

João R. Maia on 19 de março de 2010 16:01 disse...

Ai ai ai... vc tb faz uma falta imensa aqui! As tardes musicais nem são mais as mesmas! Nem que eu quisesse tb! to tendo aulas todos os dias! exceto esta semana!
Mas acho que mudanças são muito válidas dependendo do propósito!
E para de drama que vc tah em Valença... 3 horas de casa só! eu levo mais do que isso me deslocando de casa pra faculdade todos os dias! ahahhaha

te amo irmã!

Kemily Toledo on 19 de março de 2010 16:55 disse...

Carooooool, que saudades de você, prima :(
A gente já fez tantas coisas juntas por aí, memoráveis. Como um 'simples' cachorro-quente às 4h da manhã hahaha
Te amo mt e não vejo a hora de te abraçar!

Anônimo disse...

Ainn! Que fowfow!Sentir saudades é uma coisa normal, ainda mais habituada com o Rio Way of Life. Esse blog ainda vai bombar vai virar referência entre os blogs da net.
Bjo grande... Te adoro...

Corretores Brasil on 19 de março de 2010 21:42 disse...

Já conheci figura carente, mas igual a vc tá pra nascer...
Para de palhaçada...
bjs
Dinda

obs: o tio Celso vai ficar carente quando souber que vc esqueceu dele no seu momento de carência...

Ronald on 20 de março de 2010 00:07 disse...

Poxa, deletou meu comentário! :(

LIvia on 20 de março de 2010 07:53 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

Postar um comentário

Tem dias que bate uma saudade...

Acordei com uma saudade do meu povo... Esse final de semana eu não vou pro Rio.
Sinto falta da cia, da minha casa, da minha cama (Eu prefiro o sofá, mas vou falar cama, pra minha mãe ficar feliz!), do feijão da minha mãe, da carne assada da avó Dalva, dos tapas carinhosos da dindinha, das tardes musicais com o meu irmão, onde todos os vizinhos eram obrigados a participar, dos chás das 5, transformados em happy hour, lá em casa, das mesmas histórias da bisa Pepenha, da prima Keminha, a mais inteligente do mundo, dos amígoles tudo de bom, das minhas receitas mirabolantes na cozinha, dos sermões cheios de carinho do Bruno, dos bate-papos e cervejinhas na Marisa... Sinto falta até dos porteiros, seguranças, crianças gritando, do condomínio...
Eu gosto de Valença, mas me sinto um peixe fora d'água. Falta um pedacinho de cada um de vcs... Falta o que fazer... Falta bons assuntos... A galera da faculdade é muito legal, eu sou, sempre, muito bem recebida por todos eles, minha avó cuida de mim, como se eu fosse uma princesa, mas mesmo assim, falta alguma coisa, faltam vcs!!!
Se eu pudesse, trazia todos vcs pra cá... Seria a mulher mais feliz desse mundo!

Um móbile no Furacão - Paulinho Moska

Você diz que não me reconhece, que não sou o mesmo de ontem
E que tudo o que eu faço e falo não te satisfaz
Mas não percebe que quando eu mudo é porque
Estou vivendo cada segundo e você
Como se fosse uma eternidade a mais
Sou um móbile solto no furacão...
Qualquer calmaria me dá... solidão
Na última vez que troquei meu nome
Por um outro nome que não lembro mais
Tinha certeza: ninguém poderia me encontrar
Mas que ironia minha própria vida
Me trouxe de volta ao ponto departida
Como se eu nunca tivesse saído de lá
Sou um móbile solto no furacão
Qualquer calmaria me dá... solidão
Quando a âncora do meu navio encosta no fundo, no chão
Imediatamente se acende o pavio e detona-se minha explosão
Que me ativa, me lança pra longe pra outros lugares, pra novospresentes
Ninguém me sente...
Somente eu posso saber o que me faz feliz
Sou um móbile solto no furacão
Qualquer calmaria me dá... solidão!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

6 comentários:



João R. Maia disse...

Ai ai ai... vc tb faz uma falta imensa aqui! As tardes musicais nem são mais as mesmas! Nem que eu quisesse tb! to tendo aulas todos os dias! exceto esta semana!
Mas acho que mudanças são muito válidas dependendo do propósito!
E para de drama que vc tah em Valença... 3 horas de casa só! eu levo mais do que isso me deslocando de casa pra faculdade todos os dias! ahahhaha

te amo irmã!

Kemily Toledo disse...

Carooooool, que saudades de você, prima :(
A gente já fez tantas coisas juntas por aí, memoráveis. Como um 'simples' cachorro-quente às 4h da manhã hahaha
Te amo mt e não vejo a hora de te abraçar!

Anônimo disse...

Ainn! Que fowfow!Sentir saudades é uma coisa normal, ainda mais habituada com o Rio Way of Life. Esse blog ainda vai bombar vai virar referência entre os blogs da net.
Bjo grande... Te adoro...

Corretores Brasil disse...

Já conheci figura carente, mas igual a vc tá pra nascer...
Para de palhaçada...
bjs
Dinda

obs: o tio Celso vai ficar carente quando souber que vc esqueceu dele no seu momento de carência...

Ronald disse...

Poxa, deletou meu comentário! :(

LIvia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

Postar um comentário

 

Copyright © 2008 Designed by SimplyWP | Made free by Scrapbooking Software | Bloggerized by Ipiet Notez | Distributed by Deluxe Templates